CUT-RS e centrais avançam na organização e mobilização da greve geral do dia 14

Em reunião ocorrida na manhã desta terça-feira (4), na sede da Fecosul, em Porto Alegre, a CUT-RS e centrais sindicais avançaram na organização e mobilização da greve geral de 14 de junho contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro. Após debates, foram aprovadas várias ações conjuntas para intensificar a adesão das categorias e divulgar o movimento junto à população diante do bloqueio da mídia tradicional.

Participaram dirigentes da CUT, CTB, UGT, Força Sindical, CSP-Conlutas, Intersindical, CGTB, CSB e Pública, além de representantes das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, do MST, do movimento estudantil e das pastorais sociais da CNBB.

“As grandes manifestações em defesa da educação, promovidas nos dias 15 e 30 de maio, retomaram o protagonismo da juventude no cenário político e contribuíram para tirar a greve geral da clandestinidade, uma vez que a mídia hegemônica, comprada pelo mercado financeiro, ignora a resistência contra a reforma da Previdência”, afirmou o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

“Mas temos que ampliar a convocação para realizar um movimento organizado, forte e coeso para derrotar a proposta do Bolsonaro e preservar a aposentadoria do povo brasileiro”, destacou.

Encaminhamentos

Para avançar na organização e na mobilização, as centrais aprovaram:

– distribuição de panfletos para divulgar a greve geral e mobilizar os trabalhadores;

– circulação de carros de som com veiculação de áudio chamando a greve geral;

– realização de assembleias dos sindicatos para aprovar a adesão à greve geral;

– montagem de bancas no centro de Porto Alegre para distribuição de panfletos;

– continuidade da coleta de assinaturas contra a reforma da Previdência;

– agendamento de reunião específica com os trabalhadores do transporte;

– plenária de movimentos sociais no próximo dia 10, às 18h30;

– entrevista coletiva à imprensa no próximo dia 12, às 11h;

– criação de um comando da greve geral, com um representante de cada central, fazendo reuniões diárias a partir do dia 10, às 9h.

“Unificou, unificou, o estudante junto com o trabalhador”

A reunião contou com a participação de Gabriela Silveira, representante da União Nacional dos Estudantes (UNE), e de Jerusa Pena, representante da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES).

“A juventude está com espírito de mobilização”, falou Jerusa. “Quem foi às ruas nos dias 15 e 30 de maio pela educação, estará na greve geral do dia 14 contra a reforma da Previdência.”

Gabriela afirmou que “o desmonte da educação e da Previdência não são coisas separadas”. Por isso, ela disse que “estamos à disposição para dialogar com a população, pois temos que seguir unidos na defesa do País”.

Fonte: CUT-RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Copyright © 2017. Todos direitos reservados. Desenvolvido por